Russos em Viamão

Tamoio goleia amplamente time de marinheiros soviéticos.

3

Sem dúvida, essa é uma das partidas mais aleatórias de que eu encontrei notícia no Rio Grande do Sul. Claro, muito longe de ser uma partida oficial. Mas, ainda assim, muito curiosa.

Era março de 1962 e, no porto de Porto Alegre, estava atracado um cargueiro soviético chamado Rionges. Curiosamente, descobri que o navio foi fabricado na Ucrânia, em 1956, e segue na ativa. De qualquer forma, correu o boato de que a tripulação do navio mantinha uma equipe de futebol para marcar amistosos e interagir com as comunidades por onde passavam.

Com essa informação, o Sr. Orígines Abreu foi até o porto e convidou os marinheiros para uma partida contra o Tamoio, em Viamão. Aceito o desafio, no dia 18 de março, antes do meio-dia, comandados pelo 1º oficial Evgeny Toriansky, os russos rumaram para a cidade vizinha de Porto Alegre. No campo do Tamoio, foram recebidos com muito churrasco, cerveja e cachaça. Gostaram de tudo, mas acharam a cachaça “um pouco fraca comparada com a vodka”.

1962 Tamoio contra os Russos 01

Os tripulantes do Rionges posam para a fotografia. Chama a atenção a pose bem ultrapassada. Acho que fazia umas duas décadas que já não se tirava foto assim por aqui.

Embora fossem uma equipe totalmente amadora, os tripulantes do Rionges vinham “credenciados por terem perdido por apenas 5 a 2 para o vice-campeão cubano de 61” da temporada anterior. O que se viu em Viamão, no entanto, foi um adversário sem as menores condições. “A partida, no lado técnico, não correspondeu, pois os soviéticos, talvez por terem comido e bebido demais, acabaram sofrendo uma indigestão de gols: 13 a 1”.

1962 Tamoio contra os Russos 02

O quadro do Tamoio

O Tamoio jogou com Manoel; Juarez, Miguel, Pedrinho e Antoninho (depois Careca); Cláudio e Eduardo (depois Beto); Bortoli, Moacir (depois Antomar), Osi e Paíca. Os tripulantes do navio Rionges formaram com Mironov; Gerasimov, Vlasov, Begman e Soloyev; Bezginov e Sudomoikin; Sergerv, Zamorev, Maslov e Bugarov. Os gols foram marcados por Paíca (cinco vezes), Eduardo (duas), Beto (duas), Bortoli e Osi (sim, são apenas 11 gols; ou o placar está errado, ou o jornal esqueceu de registrar o autor de dois gols). Gerasimov descontou para os soviéticos.

1962 Tamoio contra os Russos 04

Mesmo sofrendo 13 gols, Mironov se destacou por ser um goleiro destemido.

Apesar da derrota acachapante, duas coisas chamaram positivamente a atenção do público em relação aos russos: o espírito esportivo e a compleição física. Mesmo que de maneira totalmente amadora, a Folha da Tarde Esportiva destacou o encontro como “a primeira visita de uma equipe russa ao estado”.

1962 Tamoio contra os Russos 03

Gerasimov (à esquerda, bloqueando Antomar) se destacou não apenas pelo gol, mas também pelo seu avantajado porte físico.

* Fotos e informações da Folha da Tarde Esportiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *