Times com Camisas com Botões na “Era Moderna”

1

No começo do futebol, a indumentária dos clubes incluía algo muito mais parecido com uma camisa do que com uma camiseta propriamente dita. Na Inglaterra, por exemplo, a maioria dos clubes começa usando camisas de mangas longas, com botões até o meio do tronco, ainda no final do século XIX. A partir da década de 1920, as camisas vão caindo em desuso, principalmente com a introdução de diferentes tipos de camisetas, com golas tipos polo (eventualmente com um ou dois botões), V ou redonda. Ainda assim, alguns clubes tradicionais ainda usavam modelos semelhantes até a virada dos anos 1950 para 1960. Curiosamente, as camisas com botões em toda a parte da frente nunca foram muito populares na Inglaterra, ao contrário do que ocorreu em outros países europeus, como Espanha e Itália.

Na América do Sul, as camisas de botões foram muito populares, embora não no Brasil. Especialmente, duas das equipes mais importantes do continente, o Club Nacional de Fútbol, de Montevidéu, e o Club Atlético River Plate, de Buenos Aires, fizeram uso de modelos assim até fins da década de 1960. Entre março e abril de 1961, o Esporte Clube Cruzeiro realizou excursão pela Argentina e, no dia 29 de março, foi derrotado por 4 a 0 pelo River Plate, no Monumental de Nuñez. Coincidentemente, alguns meses depois, lançou uma bonita camisa branca com botões, que foi elogiadíssima pela imprensa local. Dessa forma, creio ter vindo do Prata a origem de uma efêmera “moda” de camisas com botões para a prática do futebol no Rio Grande do Sul.

1961 River Plate

O River Plate e sua tradicional camisa de botões, sem distintivo, em 1961 (foto da Wikipedia)

Entre os profissionais, o Taquarense ainda utilizaria uma camiseta com botões, logo em seguida, e o próprio Cruzeiro lançaria um segundo modelo, recentemente redescoberto, em 1965. O Cruzeiro seria o último clube gaúcho a usar camisetas com botões, não fosse o Uruguaiana lançar uma camiseta no mesmo estilo já em 1981. Para o outro lado, poucos anos antes, o Veronese, de Canoas, também já havia utilizado camisas de botões.

GE Veronese (1959), em foto dos arquivos de Xico Júnior, passando pelo saudoso Marlon Compassi e postada por JV Martinelli no Acervo dos Clubes do Interior Gaúcho.

1962 EC Cruzeiro (branco) contra o Aguilla El Salvador.jpg

EC Cruzeiro (1962, camisa inaugurada em 1961)

1961 SC Taquarense (vermelha, botões)

SC Taquarense (1961)

1965 EC Cruzeiro (azul) 01

EC Cruzeiro (1965)

EC Uruguaiana (1981), do Museu Virtual do Futebol

Além dos dois profissionais, pude encontrar, ainda, alguns clubes amadores porto-alegrenses utilizando camisas semelhantes, em 1961.

1961 Rajados

GE Rajado (1961)

1962 Otto Niemeyer

AE Otto Niemeyer (1961)

Muitos anos depois, na virada dos anos 1980 para os anos 1990, os botões voltariam (muitas vezes em modelos de pressão), discretamente, às camisetas dos times, com o retorno das golas do tipo polo. Mas este é um assunto completamente diferente…

PS.: Não considerem essa história da influência da excursão do Cruzeiro à Argentina no surgimento de camisas com botões no futebol gaúcho como uma tese de doutorado. Não fui tão a fundo assim na história delas. É apenas uma elucubração. Aliás, se alguém das antigas souber quem fabricava essas camisas (eu apostaria que todas foram feitas pelo mesmo fabricante), por favor, entre em contato com o blog.

Exceto quando descrito, as fotos são da Folha da Tarde Esportiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *