Tristezense é campeão do Torneio Início da 2ª Categoria em 1962

O rubro da Tristeza começa a temporada de 1962 com o pé direito.

0

A temporada da 2ª categoria de Porto Alegre em 1962 começou na tarde de 18 de março, com a realização do Torneio Início no Estádio dos Eucaliptos. A grande novidade era o Flor de Allah, recém promovido da 3ª categoria. O Israelita, por sua vez, quase ficou de fora, pois não havia se pronunciado no tempo determinado, causando um certo desconforto nas outras equipes.

Os jogos até a final:

Eliminatória 1

  1. Gerdau 0 x 0 Florestal (3 x 2 nos pênaltis)
  2. Wallig 1 x 0 Mauá
  3. Flor de Allah 1 x 1 Bandeirantes (3 x 2 nos pênaltis)
  4. Fiateci 3 x 0 Pombal
  5. Israelita 0 x 0 Taurus (2 x 1 nos pênaltis)

Quartas-de-final

  1. Vila Federal 2 x 0 Avenida
  2. Tristezense 1 x 0 Gerdau
  3. Flor de Allah 1 x 0 Wallig
  4. Fiateci 2 x 0 Israelita

Semifinal

  1. Tristezense 2 x 0 Vila Federal
  2. Flor de Allah 1 x 0 Fiateci

Portanto, um dos representantes da Tristeza, o Bandeirantes, acabou sendo eliminado ainda na primeira fase. Já o Tristezense foi até a final e enfrentaria o “benjamin” da categoria, o Flor de Allah. Os finalistas assim formaram:

1962 Tristezense Torneio Início

Tristezense: Ivã; Zanenga, Beto e Elmor; Nadir e Clóvis; Claudionor, Caio, Machado, Miroca e Rubinho

1962 Flor de Allah Torneio Início

Flor de Allah: Spanemberg; China, Nico e Jorge; Foguinho e Danilo; Paulinho, Baiano, Hélio, Osvaldinho e Brotinho

1961 Tristezense x Flor de Allah (Torneio Início).jpg

O Tristezense saiu-se vencedor do jogo final pelo escore mínimo, com gol marcado por Caio. Aos 7 minutos do segundo tempo, o árbitro Jonatas de Brito expulsou o zagueiro Zanenga, dos rubros, por reclamação.

A crítica elogiou principalmente o sexteto defensivo do Tristezense, que encerrou o festival sem sofrer um gol sequer. No ataque, destacou Caio, que já havia ido muito bem no ano anterior. Quanto a Machado, apesar de alguns bons momentos, “pareceu bastante pesado”.

O público foi decepcionante, gerando uma renda de menos de três mil cruzeiros. A competitividade do torneio agradou, apesar de a técnica não ter sido muito destacada.

Fernando Pellin 1962 Início.jpg

O técnico do Tristezense, Fernando Pellin, e seu auxiliar, Hugo Medeiros, destacaram, ao final do jogo, que o teste havia sido muito bem sucedido. Além disso, lembraram que o clube ainda tinha espaço para melhoras ao longo da temporada, principalmente considerando-se que, para o Início, três aspirantes tiveram que ser chamados de última hora: Beto, Elmor e Machado. Com o retorno de Rui e Zebu, principalmente, eles esperavam que o Tristezense pudesse disputar o título da categoria.

* Com fotos e informações da Folha da Tarde Esportiva.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *